Polícia

Pai que matou bebê ao se irritar por causa de choro tem prisão mantida

O pai de 22 anos suspeito de matar o filho dele, de 1 ano e oito meses, asfixiado na cidade de Primavera do Leste, teve a prisão mantida pela Justiça de Mato Grosso.



O jovem, que trabalha como garçom, passou por audiência de custódia nessa terça-feira (21). O juiz Roger Augusto Bim Donega converteu a prisão em flagrante para preventiva.



Segundo o delegado Allan Vitor Sousa da Mata, o pai matou a criança no berço, voltou a dormir e, ao acordar, simulou que o menino havia se enrolado em um fio de carregador de celular.



O pai confessou, em depoimento, que durante a noite acordou para alimentar o filho e que depois de colocar de volta para dormir, a criança acordou novamente.



Ele disse que pegou a criança no colo e, irritado por não parar de chorar, pressionou o pescoço da vítima e tampou a boca da vítima provocando a morte.



“O crime reveste-se extrema gravidade [...] contra seu próprio filho pequeno, que sequer tinha condições de se defender. O autuado não mediu esforços para ceifar a vida de seu próprio filho. Este, pequeno, frágil, e impossibilitado de quaisquer condições para sua defesa”, pontuou o magistrado.



O caso

Os pais levaram a criança até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Primavera do Leste, mas o bebê morreu. A família mora em uma quitinete no bairro Primavera 3 e o berço ficava no mesmo cômodo onde o casal dormia.


Os pais disseram que acordaram para levar a criança para a creche e o menino estava com um fio de carregador enrolado no pescoço.



“O que chama a atenção nesse caso foi que o crime ocorreu às 3h. Ele [o pai] colocou o bebê no berço, voltou a dormir e acordou às 6h. Ele criou uma cena para encobrir o assassinato”, completou o delegado.


A Polícia Civil não encontrou suspeitas de que a mãe tenha participado do assassinato e ela foi liberada.


Comentários

Siga-nos

Leia as últimas notícias sobre qualquer uma dessas redes sociais!


Últimas Notícias