Cidades

Prefeitura leva assistência técnica de análise da água para pequenos piscicultores de Várzea Grande

A Prefeitura de Várzea Grande, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural Sustentável (SEMMADRS), adquiriu um kit de análise de água para piscicultura de água doce. Com o equipamento, o órgão tem prestado assistência técnica aos pequenos produtores rurais do município, de forma totalmente gratuita.



A assistência técnica na piscicultura vai propiciar uma melhor sanidade animal e mais condições de inserção no mercado formal, profissionalizando cada vez mais a atividade. Com os novos equipamentos, é possível mensurar parâmetros físico-químicos da água, como ph, alcalinidade, dureza total, gás carbônico, amônia total e amônia tóxica, transparência, nitrito, oxigênio dissolvido e temperatura.



Com esses dados, a equipe técnica da SEMMADRS (composta pelo coordenador de Desenvolvimento Rural Sustentável, médicos veterinários, engenheiros agrônomos e técnico agrícola) consegue detectar possíveis problemas e já orientar o piscicultor no mesmo momento.



A avaliação é feita em campo, mas uma amostra da água também é colhida e um relatório completo é entregue ao criador, em média sete dias após, durante visita de retorno à propriedade. O peixe também é avaliado em relação à cor das guelras, proporção do tamanho das nadadeiras, em relação ao corpo e escamas.



De acordo com Jhonattan Luydd Fernandes Ferreira, coordenador de Desenvolvimento Rural Sustentável, o objetivo deste trabalho é contribuir para o melhor manejo da piscicultura, fazendo com que o animal se desenvolva de forma a atender o mercado.



Existem cerca de 50 pequenos piscicultores nos assentamentos rurais de Várzea Grande. A maioria atua na informalidade. E o intuito da SEMMADRS com a assistência técnica é fomentar a cadeia produtiva de forma a se regularizar. Por isso, a coordenadora de Serviço de Inspeção do Município, a médica veterinária Glaucy Kelly Enciso, também acompanha as visitas técnicas nas propriedades para orientar os produtores e mostrar de que forma eles podem obter a certificação.  



“Com o sistema de inspeção, esses piscicultores passam a poder comercializar de forma regular, gerando renda para as famílias e desenvolvimento econômico para o Município”, concluiu Jhonattan Ferreira.


Comentários

Siga-nos

Leia as últimas notícias sobre qualquer uma dessas redes sociais!


Últimas Notícias