Mundo

Johnny Depp encerra depoimento em caso de difamação

O ator Johnny Depp concluiu seu depoimento nesta segunda-feira (25) no processo de difamação que abriu contra a ex-mulher, Amber Heard, dizendo que ele foi vítima de violência doméstica em seu relacionamento e estava "destruído" no momento em que o casamento acabou.

O quarto dia de Depp no ​​banco das testemunhas em um tribunal da Virgínia, nos Estados Unidos, terminou com seus advogados reproduzindo áudio de uma conversa que ocorreu depois que Heard conseguiu uma ordem de restrição contra ele em 2016.

 

O astro de "Piratas do Caribe" disse que concordou com o pedido de Heard de se encontrar em um quarto de hotel em São Francisco porque achou que ela poderia retirar a acusação de que ele havia cometido violência doméstica.

Na gravação, Depp propôs que o casal emitisse uma carta conjunta dizendo que se amavam e que a mídia havia criado uma tempestade em torno deles. A sugestão foi uma tentativa de encontrar um "acordo pacífico", disse Depp.

 

Heard, conhecida por seu papel em "Aquaman", resistiu à ideia e o desafiou a ir a público com sua alegação de que foi ele quem sofreu violência. "Diga ao mundo, Johnny", afirmou ela. "Diga a eles que eu, Johnny Depp -- um homem -- também sou vítima de violência doméstica."
Depp disse que respondeu: "Sim, eu sou".

Entenda o processo


Depp, de 58 anos, está processando Heard, de 36, com pedido de indenização de 50 milhões de dólares, depois que ela o acusou de violência doméstica antes e durante seu casamento de aproximadamente dois anos. Ela o processou de volta pedindo 100 milhões de dólares, dizendo que Depp a difamou chamando-a de mentirosa.

Em outro áudio do encontro de São Francisco, Depp ameaçou se cortar com uma faca.

"Isso é psicologicamente, emocionalmente onde eu estava", disse ele. "No final, eu estava destruído ... eu pensei: a única resposta está aqui, pegue meu sangue, isso é tudo que me resta."

 

Depp disse que nunca bateu em Heard ou em qualquer mulher. Ele acusou Heard de difamá-lo quando ela escreveu um artigo em dezembro de 2018 no Washington Post sobre ser uma sobrevivente de violência doméstica.

Mais cedo nesta segunda-feira, os advogados de Heard apresentaram notícias que, segundo eles, mostram que o comportamento de Depp já havia prejudicado sua lucrativa carreira no cinema bem antes do artigo de Heard.

Na semana passada, os advogados de Heard apresentaram e-mails e mensagens de texto que Depp enviou a Heard, amigos, familiares e associados, muitas vezes cheios de palavrões e descrições vulgares.

Escrevendo para o ator Paul Bettany em 2013, Depp disse: "Vamos afogá-la antes de queimá-la" e "vou f. seu corpo queimado depois para ter certeza de que ela está morta".

 

Depp afirmou que "não estava orgulhoso de nenhuma linguagem que usou com raiva".

 

O ator disse em depoimento anteriormente que foi Heard quem partiu para agressão física durante discussões e o golpeou ou empurrou. Heard uma vez jogou uma garrafa de vodca na mão de Depp, cortando a parte superior de seu dedo médio direito, segundo ele.

Em um julgamento separado no Reino Unido, Heard negou ter jogado uma garrafa e cortado o dedo de Depp. Ela disse que jogou coisas apenas para escapar quando ele estava batendo nela, e uma vez deu um soco nele porque temia que ele empurrasse sua irmã escada abaixo.


Comentários

Siga-nos

Leia as últimas notícias sobre qualquer uma dessas redes sociais!


Últimas Notícias