Política

Réu por esquema de R$ 5 milhões, empresário some da Justiça de MT

O juiz Bruno D’Oliveira Marques, da Vara Especializada em Ações Coletivas de Cuiabá, determinou a citação do representante de uma empresa que é ré em uma ação de improbidade administrativa. A instituição faria parte de uma organização que teria superfaturado licitações na compra de cloro e sulfato de alumínio, tendo causado um prejuízo aos cofres públicos de cerca de R$ 5,2 milhões. 

Em seu despacho, o magistrado determinou a citação por edital de Joaquim Bezerra da Silva, que seria o representante legal da 3K Transportes Ltda. De acordo com a decisão, ele encontra-se atualmente em lugar incerto e não sabido.

 

Caso não seja encontrado, um defensor público será o responsável por fazer a resposta a acusação.  A 3K Transportes Ltda é uma das rés na ação relativa a operação “Tsunami”, deflagrada pela Delegacia Fazendária no ano de 2005, a organização criminosa estaria por trás do superfaturamento em licitações na compra de cloro e sulfato de alumínio.

 

O grupo teria agido nas prefeituras de Cuiabá, Várzea Grande, na região metropolitana, e em Rondonópolis. A extinta Sanecap também seria um dos alvos do grupo. 

 

Também são réus na ação Antônio de Barros Bueno Junior, Dalmis Marques de Arruda, Abel Ribeiro de Souza, Beraca Sabará Químicos e Ingredientes Ltda, entre outros. A investigação apura denúncias de fraude de processos licitatórios de companhias de saneamento e abastecimento de água, cuja atividade ilícita era realizada com a colaboração de servidores públicos. 

 

A ação chegou a ficar suspensa, mas foi retomada em janeiro de 2021. Em uma decisão do dia 18 de julho, o magistrado inclusive negou pedidos de prescrição do processo, que foram protocolados pelos réus, com base na nova lei de improbidade administrativa.


Comentários

Siga-nos

Leia as últimas notícias sobre qualquer uma dessas redes sociais!


Últimas Notícias